Engenharia Sustentável
UFMG
EM BREVE

Digite sua senha para ver o site:

Sobre

Tamanho da letra:
Compartilhe:

Os materiais sempre tiveram uma importância fundamental na vida da humanidade. A história das civilizações antigas foi dividida de acordo com a predominância da utilização de um dado material, como Idade da PedraIdade do Ferro, Idade do Bronze, entre outras.

À princípio, o homem só empregava os materiais da forma como os encontrava na natureza, tais como pedrasmadeira e barro. Com o passar do tempo descobriu-se a possibilidade de criação e utilização de novos materiais, entre eles, metais, cerâmicas, polímeros e compósitos.

O conhecimento dos materiais e de suas propriedades é imprescindível para a orientação da escolha entre eles. Segundo CALLISTER JR. (2002), a propriedade de um material relaciona-se ao tipo e à intensidade de uma resposta a um estímulo específico imposto ao mesmo. Entre as diferentes propriedades apresentadas por um material, incluem-se as físicas, mecânicas, ópticas, térmicas, acústicas, elétricas, magnéticas, entre outras.

No setor da construção civil, a escolha, ou seleção dos materiais, tem influência direta no custo de uma obra, na quantidade de resíduos gerados, na sua capacidade de resistir ao tempo e até mesmo na conceituação de seu projeto, uma vez que a caracterização estética de um determinado espaço está intimamente relacionada ao tipo do material que irá compor este ambiente.

Assim, a seleção dos materiais de construção deve ser feita com cuidado, considerando aspectos distintos, os quais devem ser analisados por diversos profissionais para a escolha correta.

Esta escolha implica em determinar as propriedades requeridas para cada situação, considerando as exigências do local em que o material será aplicado, o tipo de obra e a disponibilidade de recursos. Deve-se obter a solução com a melhor relação custo-benefício, tendo em vista a economia a médio e longo prazo, isto é, incluindo-se as despesas necessárias de manutenção e uso. O material escolhido deve ser capaz de cumprir a função requerida com o mínimo impacto ambiental, garantir o desempenho esperado (durabilidade, vida útil, facilidade de manutenção, etc.) e ser viável economicamente.

Na maioria das vezes, a seleção de um material implica em um processo complexo de decisões, as quais devem ser tomadas com base em critérios técnicos, econômicos, estéticos e, ambientais.

A indústria da construção é responsável por gerar grandes impactos ambientais e consumir altas quantidades de recursos naturais, muitos deles não renováveis. Segundo JOHN (2010), são transformados em materiais de construção entre 40% e 75% das matérias-primas extraídas da natureza. Além disso, a produção, transporte e utilização de materiais contribuem significativamente para a poluição dos ambientes interno e externo das edificações. A produção mundial de cimento Portland é responsável por cerca de 6% de todas as emissões antropogênicas de CO2. Em países em desenvolvimento esta fração pode alcançar 10% (JOHN, 2003).

Dentro deste contexto, o presente capítulo pretende, inicialmente, apresentar as principais características e propriedades dos materiais, classificados em quatro grupos: metálicos, cerâmicos, poliméricos e compósitos. Em seguida, serão destacados os critérios que devem ser considerados para a seleção dos materiais do ponto de vista do desenvolvimento sustentável. Finalmente, a última parte do capítulo será destinada a exemplos de materiais com aplicação específica na construção civil.